Google+ Badge

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

MANGOSTÃO E ARTRITES

O texto seguinte é uma tradução do original em inglês do Dr. J. Frederic Templeman

No termo artrite o sufixo "ite", significa inflamado e 'artr "refere-se a articulação.
Daí, 'artrite' significa literalmente "articulação inflamada”. Existem mais de 100 entidades separadas, quando todos os tipos de artrite são catalogados. Infelizmente, a causa da maioria deles, permanece desconhecida.

Muitas dessas condições não afectam apenas articulações, ligamentos e outros tecidos de suporte, como também ataca a pele, unhas e órgãos internos chave. A maioria ocorre 2 a 3 vezes mais em mulheres do que nos homens e a osteoartrite (artrose) por si só, custa ao governo dos EUA mais de $65 biliões cada ano. É a principal patologia crónica relatada pelos idosos.

Em muitos tipos de artrite, a maioria dos benefícios do mangostão virão dos seus efeitos anti inflamatórios, bloqueando selectivamente os efeitos da enzima COX-2 e não provoca a
perigosa gastroenterite, causada pelos efeitos secundários dos medicamentos anti-inflamatórios.

Além disso, o mangostão exibe um efeito de redução de dor neurológica que, acredito também
decorre da sua capacidade de inibir selectivamente a COX-2, enzima responsável pelo desencadear
da inflamação. Por exemplo, o efeito de bloquear o COX-2, é susceptível de ser o responsável pela
redução da dor, relatada pelos pacientes com sindroma da compressão do disco vertebral, como a
ciática, onde os danos aos nervos, causados pela "doença degenerativa comum", é o problema
subjacente.

GOTA
Gota e pseudo gota, são tipos de artrite causada pela formação de cristais insolúveis no líquido
Sinovial das articulações. Esses cristais, ocorrem quando o corpo não pode correctamente processar
a ureia, o principal componente da urina. Este defeito, resulta no aumento dos níveis de ácido úrico
no sangue (Ácido úrico insolúvel e cristais formam-se nas articulações, quando os níveis sanguíneos
da substância, tornam-se excessivamente elevados). O risco de gota pode ser baixado por alteração
da dieta alimentar, na qual, a ingestão de certos tipos de proteína animal, é reduzida para diminuir a
produção de ácido úrico. Alguns medicamentos, como a hidroclorotiazida, pode aumentar os níveis de ácido úrico no sangue e causar um ataque de gota. A inflamação resultante com o seu vermelhão, inchaço e dor é muitas vezes grave.

A gota pode ser efectivamente tratada com o mangostão e a gravidade e frequência dos ataques
reduzidos pelo consumo diário deste suplemento anti-inflamatório.


ARTRITE REUMATOIDE
A artrite reumatóide, é uma doença auto-imune onde o sistema imunitário do corpo foi invadido
(normalmente por uma infecção viral) e os seus ataques são mal direccionados nas articulações dos
tecidos do corpo. A inflamação e a dor costumam ser graves e, se não detectada, irá conduzir a
graves deformações das articulações e perda de função. Como na artrite juvenil, o tratamento com
medicamentos, está cheio de perigosos efeitos secundários graves; O mangostão, com os seus
poderosos efeitos anti-inflamatórios, foi descrito como sendo muito útil, em muitos casos.

ARTRITE JUVENIL
A artrite juvenil, é também uma doença auto-imune, relacionada com a artrite reumatóide, que ataca
crianças. A doença frequentemente dá febres altas, que pode durar semanas antes de aparecem as
dores articulares. Embora existam diferentes formas da doença, algumas podem causar sérios danos
aos olhos, acredita-se, que todos os tipos têm um componente genético. Também existem factores
que accionam a doença, como infecções virais ou bacterianas, mas em muitos casos, a causa é
desconhecida. O tratamento standard com fármacos, que tem muitos efeitos secundários, é
geralmente insatisfatória. O mangostão, tem-se revelado útil em muitos casos de artrite reumatóide
juvenil e deve ser utilizado, pelo menos, três vezes por dia.

OSTEOARTRITE (ARTROSE)
A osteoartrite (artrose), muitas vezes chamada doença articular degenerativa, é o tipo mais comum
de artrite. Normalmente envolve o pescoço, parte inferior das costas, joelhos, quadris e mãos. É
comum nos idosos (a maioria das pessoas com mais de 70 anos tem as alterações características da
doença, contudo, nem todas são sintomáticas), mas pode ocorrer na meia-idade ou até mais cedo, se
as articulações sofrerem danos por trauma (como muitas vezes acontece com os atletas profissionais).

Enquanto alguns tipos de osteoartrite (artrose) são hereditários, muitas formas deve-se a “uso e
desgaste” das articulações e, a obesidade é a causa mais comum desta situação. Mais de 20 milhões
de americanos são afectados e a osteoartrite (artrose) é a maior causa de deficiência na América do
Norte. Nos primeiros estágios da doença, a inflamação das articulações, é o principal sintoma e
o mangostão, pode ser uma terapeutica valiosa. Na osteoartrite (artrose) avançada, o dano e a dor resultante, ultrapassam o ponto da intervenção médica efectiva e quando apropriada, deve ser considerada a intervenção médica cirúrgica de substituição.

É talvez mais útil entender um pouco mais sobre o processo da osteoartrite (artrose), uma vez ser esta,
o tipo de artrite predominante.

Os ossos, em todas as articulações, são protegidos da inerente fricção do movimento e pesorolamento,
pela cartilagem e pelo fluido Sinovial. A cartilagem pode cobrir as simples porções dos ossos dentro das articulações ou pode, também formar discos de amortecimento ou blocos, como o faz nos joelhos e entre as vértebras das costas. A cartilagem e o fluido Sinovial, estão em constante mudança. No decorrer de uma actividade normal, os factores químicos e mecânicos combinam-se para causar dano que, em quase todos os casos, excepto um grande trauma, é microscópico, todavia, requer reparação. Os condrócitos (cartilagem que produz células) estão envolvidos no processo de reparação da cartilagem e são especializados nas células secretoras na renovação do fluído sinovial.

A reparação óptima, quer dizer reparação que iguala exactamente o dano causado durante a
actividade da articulação, é a norma durante a juventude. Contudo, conforme envelhecemos, a
habilidade do corpo em manter a homeostase (um estado de equilíbrio) na articulação, declina, e os
danos não são todos reparados.

A equação do dano = reparação, obviamente, não é nem simples nem unidimensional e muitos
factores, incidem sobre o processo de reparação. A nutrição é o principal desses factores e, porque o
dano que ocorre ao nível celular, é em grande parte mediada pelos radicais livres, a adequação do
mecanismo de produção de antioxidante do organismo, é o factor chave para a eficácia das
reparações. A disponibilidade de um abastecimento adequado de matérias-primas, principalmente
glicosaminoglicanos para permitir a reparação é também um factor importante. Daí, suplementos
que irão reforçar a capacidade antioxidante do organismo e fornecer glicosaminoglicanos adicionais
(encontrados em sulfato de glucosamina) é altamente recomendado. O mangostão, naturalmente,
proporciona uma fonte mais do que adequada de antioxidantes suplementares.

O “Uso e Desgaste", que significa o dano microscópico que não fica totalmente reparado, bem
como os nossos processos de reparação no corpo que abrandam com o envelhecimento, são a
principal causa de osteoartrite (artrose).
No entanto, além do factor microscópico, uso e desgaste, também outros factores entram em jogo na
degeneração das nossas articulações. Por exemplo, o trauma, pode causar lágrimas nas almofadas
cartilaginosas nas articulações peso-rolamento, tais como, os espaços intervertebrais da coluna
vertebral ou do joelho. Às vezes, este dano não pode ser reparado e ocorrem cicatrizes e
deformidades. A cartilagem, abrangendo os próprios ossos também está sujeita a interrupções por
trauma. Quando ocorre o dano, geralmente leva a uma aceleração da taxa de degeneração da
articulação, resultando numa prematura doença degenerativa da articulação.
De importância crucial, nesta avaliação do valor do mangostão como um complemento para a
articulação, é a sua comprovada capacidade de agir, como um eficaz inibidor selectivo da COX-2.
Neste ponto, é oportuno salientar que o mangostão é, do meu conhecimento, o único anti inflamatório botânico com comprovadas propriedades de inibição da COX-2.

Pode legitimamente perguntar a esta altura, porque é que a selectiva inibição de COX-2 tem uma
qualidade tão notável? Basta afirmar, que torna o mangostão absolutamente seguro como um potente anti-inflamatório.
Nós sempre soubemos acerca do perigo dos medicamentos AINE (anti-inflamatórios nãoesteróides)
usados no combate à inflamação, presente de alguma forma em todas as condições de
artrite. O que nós não sabíamos antes do advento do mangostão era, o que fazer acerca dos perigos,
incluídos nos efeitos secundários com risco de vida como a hemorragia gastrointestinal e
insuficiência hepática. Avisos contra a utilização ininterrupta desses medicamentos, abundam
mesmo na literatura produzida pelas farmacêuticas. Contudo, quer médicos quer pacientes
procurando aliviar a dor, ignoram largamente a proibição contra a utilização crónica.

Muitos inibidores farmacológicos de COX-2, foram desenvolvidos a partir de meados dos anos 90,
(por ex.: Vioxx, Celebrex, Bextra) mas esses medicamentos, enquanto são uma melhoria
relativamente aos seus antecessores, não têm aliviado quanto às expectativas de segurança. De
facto, no ano 2000 nos EUA, morreram mais pessoas pelas complicações quer dos velhos quer dos
novos AINE do que de SIDA! Adicionalmente, o Vioxx foi recentemente retirado do mercado por
ter causado ataques cardíacos.


Essencialmente, a mensagem é a de que o homem ainda tem de igualar a natureza na produção de
um inibidor perfeito de COX-2 – O mangostão.

ARTRITE E EXERCÍCIO
A artrite, é o motivo mais comum dado para a inactividade e no entanto, paradoxalmente, a
inactividade é um dos principais factores que pioram a artrite. A inactividade leva à fraqueza dos
músculos, diminui a flexibilidade. Qualquer que seja o tipo de artrite ou o estágio da doença, exercício físico apropriado, muitas vezes sob a supervisão de um fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional, não é apenas possível como também é altamente desejável. Superar o medo da dor associada ao começo do exercício, requer contudo, apoio e encorajamento e, eu acredito firmemente, no uso do mangostão para energia e a modulação da dor e ansiedade.


DOSE RECOMENDADA
Eu recomendo que, em todos os tipos de artrite, os níveis de manutenção sejam de 1 a 2 cálices de
sumo, 3 vezes por dia após as refeições. Para quem sofre de gota e artrite reumatóide, é útil
duplicar a dose durante os ataques.


O Dr. Templeman é um médico dos cuidados primários, com mais de vinte anos de experiência
clínica.

Como Director da Phytoceutical Medical Research, o Dr. Templeman é responsável pelo
desenvolvimento de projectos de investigação, bem como a avaliação dos dados clínicos. Ele é
procurado internacionalmente como orador e autor sobre saúde, nutrição, e as propriedades
curativas do mangostão.

O Dr. Templeman viaja regularmente ao sudeste asiático, onde criou inúmeras parcerias com
cientistas de vários países, a fim de fazer uma pesquisa mais aprofundada sobre o mangostão e as
poderosas Xanthones.

Para além das suas actuais responsabilidades, oferece regularmente os seus serviços como médico
voluntário nos países do terceiro mundo, fornecendo ajuda médica essencial para a pobreza que
atinge as comunidades isoladas.

O Dr. Templeman e sua esposa Michele são os pais de 10 crianças e residem actualmente no Utah,
Estados Unidos da América.

Sem comentários:

Enviar um comentário